quarta-feira, outubro 17, 2018

"Abri meu armário na procura de roupas pra tomar banho e quando olhei pra cima vi meu caderno de anotações da época em que trabalhei com Michael. O peguei, folheando e com lágrimas nos olhos. Como era feliz nas madrugadas que trabalhei com Louis, quando me contava suas histórias e saíamos pra comer.
No meio do caderno, algumas fotos eu tinha daquela época, que Pete tinha tirado e me dado de recordação. Nem parecia eu. Duas fotos dos últimos dias de estúdio me fizeram chorar como criança. Uma Louis me abraçava e sorria, em uma pose qualquer. Outra, nos olhávamos, num close próximo.
Eu queria voltar. Voltar naquele tempo e naquele lugar em que me sentia tão bem, tão viva e tão feliz.
‘Por que eu não posso voltar? Eu quero tanto voltar’ – ainda disse enquanto passava minhas mãos sobre as fotos
Queria voltar a Los Angeles, e não ir embora aquele dia do aeroporto."

segunda-feira, outubro 08, 2018

who's gonna drive you home, tonight?

Eu queria falar de amor, mas só consigo sentir medo.

Onde está o botão pra mudar pra outro planeta?

segunda-feira, setembro 17, 2018

"-Eu preciso que volte pra casa
-Não consigo, não consigo sair daqui e de ficar revivendo lembranças esquecidas em minha mente
-O fato é que a casa bagunçou junto com meus pensamentos, não consigo viver sem você, nada funciona, nem o chuveiro esquenta e a cama parece sempre vazia
-Me quer por que a casa está de pernas pro ar?
-Não. Porque eu estou de pernas pro ar. Porque não sei viver sem ouvir o barulho de sua voz aqui dentro.
-E se um dia eu partir pra sempre?
-Eu vou caminhar no infinito junto com você"

terça-feira, setembro 04, 2018

Over Now

A televisão já não está mais ligada como antigamente. No lugar de seus passos pela escada do quarto, ouço o silencio ensurdecedor das madrugadas em que passo em claro. Seu rosto agora só me aparece em borrões perdidos no pensamento e sua risada ecoa somente em meus ouvidos.

As lágrimas secaram e a confusão se instalou de maneira inigualável. Eu queria poder tocar suas mãos novamente, te dar um ultimo abraço, te pedir conselhos bobos. Queria poder saber que vou lidar novamente com suas manias, suas mudanças repentinas de humor, seus esquecimentos.

Sobrou um vazio, uma última conversa pelo telefone, uma ultima vez que lhe ajudei a caminhar pelo corredor, um último olhar me implorando pra te levar pra casa, iluminado por uma luminária fraca que atravessava a porta do quarto.

Quantas mais noites eu ainda vou ouvir sua voz?

sábado, julho 14, 2018

I'm not here

Se você pensa que choro e me desespero toda vez que me recordo o quanto mentiu e enganou, está errado. Quem um dia irá te cobrar será sua própria consciência, eu não terei nada a ver com isso.

segunda-feira, junho 25, 2018

Hello, old friend

Esses dias que se perdem em pensar em viver, não voltam mais atrás. Falta um pedaço de mim, onde é que ele foi parar?

terça-feira, junho 19, 2018

Bicameral Mind

Eu gosto de pessoas que falam com os olhos, se movem como gatos, se expressam num sorriso. Nessas você pode entender absolutamente tudo o que elas pensam, sem ao menos que elas emitam uma só palavra.

É o jeito em que elas seguram suas costas quando dançam ou respiram em seu ouvido quando se aproximam para dar um simples beijo em seu rosto que fazem com que você se transporte pra um mundo que não lhe pertence.

Se a pele encosta ou as mãos lhe acariciam, seus olhos lhe penetram de uma maneira inigualável. Não há nada mais intenso do que alguém que te analise, que te invada, que te atravesse, arrancando de você os segredos mais obscuros.

E são nesses momentos em que uma melodia toca alta e insistente dentro do seu cérebro, que o mundo anda em câmera lenta, que um cheiro que te agrada fica mais marcante. E tudo pode parar, pois nada mais vai fazer sentido quando esse alguém entrar na sua vida, somente por um instante.

sábado, junho 09, 2018

Say goodbye

Eu não sei lidar com a morte. A morte me causa um sentimento estranho, de impotência, de dor inexplicável. A morte me causa um desespero, uma vontade de esquecer que um dia a vida acaba dessa maneira. 

A morte me deixa indignada. Me deixa revoltada. Me deixa sem chão.

segunda-feira, maio 21, 2018

One last sin before I'm dead

Se eu ainda pudesse guardar a mesma idéia, se eu ainda pudesse ver a nossa inocência, se eu pudesse te velar como todas as noites, teria a lembrança do sonho escondido.

quinta-feira, maio 10, 2018

you can't change the way I feel

De tempos em tempos eu carrego a dor escolhida no peito. Uma vontade pelo sombrio. Um fascínio pela tragédia.